quarta-feira, maio 28, 2008

2002/03 - Emílio Peixe - 2J 0G

Falar de Emílio Peixe enquanto jogador do Benfica é extremamente complicado, nunca fui um acompanhante assíduo da equipa B do clube, e o desafio de me lembrar dos 15 minutos oficiais que teve na equipa principal é em vão, a verdade é que não me recordo dos 2 minutos frente ao Belenenses em 14 de Dezembro de 2002, e dos 13 minutos em 21 de Dezembro de 2002 frente ao Boavista, a partir daqui entre lesões e opções nunca mais Camacho o voltou a chamar para a equipa principal do clube.

Estes minutos de Águia ao peito serviram apenas para Peixe ascender ao lote de jogadores que actuaram no três grandes em Portugal.

Emílio Peixe teve inicio de carreira sénior prometedor, Campeão do Mundo de sub -2o, e considerado o Jogador do Torneio (honra que coube também a jogadores como Diego Maradona, Saviola e Messi, mas também a Ismaeil Matar, Caio e Bismark), teve depois uma carreira que sendo positiva pelas equipas que envolveu, não deixou de ser decepcionante pela real utilização que teve em todas. No Sporting foi jogando sem nunca se impor verdadeiramente, até acabar emprestado ao Sevilha de Toni em 95/96, onde disputou 5 jogos apenas, no Campeonato entre as jornadas 3 e 8, e coleccionou Amarelos (2) e Vermelhos (2), regressou rapidamente ao Sporting, por pouco tempo sendo envolvido na troca "amigável" de jogadores entre Porto e Sporting (Peixe e Costinha para um lado, Rui Jorge e Bino para o outro).

Depois de algumas épocas, sai para Alverca, onde o Benfica o vai buscar no inicio da época 2002/03, saindo de seguida para Leiria onde pouco jogou e colocou ponto final na carreira de futebolista. Tornou-se então treinador do Algarve United/Sindicato dos Jogadores, ganhando depois por geração espontânea lugar nas selecções jovens Nacionais, sendo hoje funcionário da Federação Portuguesa de Futebol.

Na Selecção Nacional, 12 Internacionalizações A, entre 1991 e 1993, e ainda presença, além do Campeonato do Mundo de Sub - 20, no Mundial Sub - 17 na Escócia e nos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996, onde foi capitão de Equipa.
Em Resumo um jogador da Selecção que, de vez em quando, era convocado para os clube
s.

9 comentários:

Dogus disse...

Um pouco cheio demais para jogador de futebol... muito mau, pelo que me lembro...

Nunca vingou em nenhum clube, após ser considerado o melhor jogador do mundial (quem é o Matar?!?).

Lembro-me de ter deitado as mãos à cabeça quando assinou pelo Glorioso...

SusumuBenfica disse...

O Matar, é o Bola de Ouro do Campeonato do Mundo Sub 20 de 2003, um desconhecido da selecção dos Emiratos Árabes Unidos que joga no Al -Wahda.

O Bismark, Bola de Ouro do Mundial Sub-20 de 1989, fez carreira no Japão, nunca jogou na Europa.

O Caio, Bola de Ouro do Mundial Sub-20 de 1995, foi um flop no Inter de Milão em 95-96, no Napoles em 96-97, foi mediano nas várias equipas brasileiras onde jogou, além de ter actuado na Alemanha em fim de carreira no Rot-Weiss Oberhausen.

Dogus disse...

Obrigado susumubenfica. Realmente não sabia quem era (é efectivamente um desconhecido). O Bismark vi-o há pouco tempo, quando jogou contra Portugal em 1989 (na RTP Memória). O Caio lembro-me dele.

Anónimo disse...

Uma grande promessa que nunca se confirmou.. Teve momentos muito bons no Sporting mas como tantos outros jogadores, Queiroz rebentou-o. No Porto ainda fez uns jogos mas a partir daí já não havia evolução; no Benfica tava tapado por Petit e demasiado desanimado para lutar.. Podia ter ido muito mais longe.

Fred disse...

Visitem:

http://perigonaarea.blogspot.com/

Interface gráfica renovada e qualidade e regularidade dos posts redobrada.
Todo o desporto, futebol, modalidades, competições, análises, votações, vídeos, talentos, resumos e muito mais,...

Obrigado pela visita!

Parabéns pelo blog e pelo trabalho desenvolvido!

Anónimo disse...

se o benfica continuar a contratar jogogadores como o faz agora talvez este blogue dure por muitos mais anos. axo que já é hora se arranjar bons olheiros para o benfica

Peter Gunn disse...

O Peixe por incrivel que pareça foi dos poucos jogadores a marcar um golo à Madjer no nosso campeonato até hoje :)

Bruno V. disse...

Foi uma grande promessa do futebol português, e acabou por ser quase um grande nada. Se bem que acho que no Porto foi desaproveitado porque das poucas vezes que jogou, fê-lo muito bem. Mas por alguma razão não conseguiu afirmar-se definitivamente. Desta passagem pelo Benfica só me lembro da exibição desastrosa que fez num amigável com o Ajax na apresentação aos sócios da época 02/03, em que havia 0-0 e ele conseguiu oferecer o golo do Ajax. Nunca foi verdadeiramente jogador do Benfica.

Anónimo disse...

um peixe fora d' agua